Expedições pelo mundo da cultura (prof. José Monir Nasser)

O programa Expedições pelo Mundo da Cultura, dirigido pelo prof. José Monir Nasser, consistia na leitura e comentários, em grupo, por cinco anos, de cem obras literárias consideradas essenciais para a compreensão da Civilização Ocidental.

A atividade do prof. Monir, falecido em março de 2013, deixou em muitos de seus alunos, próximos e distantes, as sementes e os frutos de seu programa de educação.

Eu começarei, em breve, a gravar pequenos comentários a cada uma das cem obras literárias essenciais das Expedições pelo Mundo da Cultura. Convido você a se inscrever no meu canal no YouTube (As Travessias — clique aqui).

Acesse aqui a lista das cem obras indicadas (.pdf).

Antes de iniciar os vídeos de apresentação de cada obra, gravei alguns vídeos introdutórios:

→ Expedições pelo Mundo da Cultura (convite para conhecer as obras)

→ Análise da lista de cem livros do prof. José Monir Nasser

Dois obstáculos frequentes na aquisição de uma cultura literária

EXPEDIÇÕES PELO MUNDO DA CULTURA
CEM OBRAS LITERÁRIAS ESSENCIAIS

1) Como Ler um Livro, Mortimer J. Adler / Charles Van Doren

2) Crime e Castigo, Fiódor Dostoiévski

3) O Estrangeiro, Albert Camus

4) Em Busca de Sentido, Viktor Frankl

5) A Rebelião das Massas, Jose Ortega y Gasset

6) O Coração das Trevas, Joseph Conrad

7) Apologia de Sócrates, Platão

8) Os Irmãos Karamázov, Fiódor Dostoiévski

9) O Saber dos Antigos, Giovanni Reale

10) O Vermelho e o Negro, Stendhal

11) O Jardim das Aflições, Olavo de Carvalho

12) O Homem sem Qualidades, Robert Musil

13) A Crise do Mundo Moderno, René Guénon

14) Admirável Mundo Novo, Aldous Huxley

15) O Homem Revoltado, Albert Camus

16) A Divina Comédia, Dante Alighieri

17) Hamlet, William Shakespeare

18) Ilíada, Homero

19) A Peste, Albert Camus

20) O Processo, Franz Kafka

21) Fedro, Platão

22) A Ilha, Aldous Huxley

23) Antígona, Sófocles

24) A Montanha Mágica, Thomas Mann

25) A Metamorfose, Franz Kafka

26) A Consolação da Filosofia, Severino Boécio

27) Rei Lear, William Shakespeare

28) Os Demônios, Fiódor Dostoiévski

29) O Livro de Jó, Bíblia

30) Prometeu Acorrentado, Ésquilo

31) O Castelo, Franz Kafka

32) Fausto (Primeiro), Wolfgang von Goethe

33) Odisséia, Homero

34) A Tempestade, William Shakespeare

35) O Misantropo, Molière

36) Dom Quixote, Miguel de Cervantes

37) O Senhor dos Anéis, J. R. R. Tolkien

38) 1984, George Orwell

39) Os Noivos, Alessandro Manzoni

40) Fausto (Segundo), Wolfgang von Goethe

41) O Idiota, Fiódor Dostoiévski

42) Otelo, William Shakespeare

43) A Morte de Ivan Ilitch, Lev Tolstói

44) Confissões, Santo Agostinho

45) A Traição dos Intelectuais, Julien Benda

46) Édipo Rei, Sófocles

47) Teogonia, Hesíodo

48) Gênesis, Bíblia

49) Fedra, Racine

50) Doutor Fausto, Thomas Mann

51) Ilusões Perdidas, Honoré de Balzac

52) Esperando Godot, Samuel Beckett

53) Os Lusíadas, Luís de Camões

54) O Banquete, Platão

55) Don Giovanni, Lorenzo da Ponte

56) Macbeth, William Shakespeare

57) Retrato de um Artista Quando Jovem, James Joyce

58) Orestéia, Ésquilo

59) Tristão e Isolda, Richard Wagner

60) Eugénie Grandet, Honoré de Balzac

61) Notas do Subsolo, Fiódor Dostoiévski

62) Moll Flanders, Daniel Defoe

63) A Morte de Virgílio, Hermann Broch

64) O Reino da Quantidade, René Guénon

65) Almas Mortas, Nikolai Gogol

66) Moby Dick, Herman Melville

67) Terra Arrasada, T. S. Eliot

68) Mercador de Veneza, William Shakespeare

69) Diário de um Pároco de Aldeia, Georges Bernanos

70) A Cartuxa de Parma, Stendhal

71) Seis Personagens à Procura de um Autor, Luigi Pirandello

72) Os Anos de Aprendizado de Wilhelm Meister, Wolfgang von Goethe

73) O Rinoceronte, Eugène Ionesco

74) Menon, Platão

75) Um Inimigo do Povo, Henrik Ibsen

76) Ortodoxia, G. K. Chesterton

77) Madame Bovary, Gustave Flaubert

78) Ulisses, James Joyce

79) No Caminho de Swann, Marcel Proust

80) O Jogo das Contas de Vidro, Hermann Hesse

81) Sonho de uma Noite de Verão, William Shakespeare

82) As Seis Doenças do Mundo Contemporâneo, Constantin Noïka

83) Memórias Póstumas de Brás Cubas, Machado de Assis

84) Sobre o Sermão da Montanha, Santo Agostinho

85) Morte em Veneza, Thomas Mann

86) Michael Kohlhaas, Heinrich Von Kleist

87) Noites de Reis, William Shakespeare

88) República de Platão, Platão

89) O Processo Maurizius, Jacob Wassermann

90) O Inspetor Geral, Nikolai Gogol

91) Ana Karênina, Lev Tolstói

92) Um Dia na Vida de Ivan Denisovitch, Alexandre Soljenitzin

93) Tartufo, Molière

94) Notas para uma Definição de Cultura, T. S. Eliot

95) Medéia, Eurípedes

96) Woyzeck, Georg Büchner

97) Père Goriot, Honoré de Balzac

98) Mensagem, Fernando Pessoa

99) Castro, Antônio Ferreira

100) Eneida, Virgílio

Em breve, pretendo registrar – e comentar – aqui as edições de cada uma das obras disponíveis em língua portuguesa e na língua original. Aguardem!

Comentários

    1. Keymaster Temporário

      Miriam, as aulas do prof. Monir circulam entre seus antigos alunos. Tente encontrar um grupo do Facebook dedicado a ele. Além disso, o Sesc do Paraná editou uma dezena de transcrições de suas aulas, que estão disponibilizadas gratuitamente na internet.

  1. Emmanuel A. Figueiredo Jr.

    Boa tarde.
    De início, quero parabeniza-lo pela generosa contribuição com aquele que buscam solitariamente o caminho da luz.Estou finalizado o estudo da obra “Como ler Livros” e tenho algumas dúvida apesar de ter montado um grupo de debate sobre o livro. O amigo já lançou o vídeo comentando a obra?
    Grande abraço e mais uma vez parabéns pela iniciativa.
    Obs: Já adquiri o trivium e o quadrivium.

    1. Keymaster Temporário

      Ainda não comecei a fazer os comentários à obra “Como Ler Livros”! Provavelmente demorará um pouco, pois há outras na frente!

  2. jose Everaldo Vanzo

    Iniciativa do mais alto valor cultural e humano.No Inferno ,Dante se salvou pelas mãos de Virgilio que representava a sintese da cultura e humanismo do mundo clássico ocidental.Vcs estão como Virgilio ajudando a todos nós a sair deste inferno em que a nação foi lançada pela nossa incipiente e precária vida pública.Este movimento criado pelo venerando professor desaparecido vem também qualificar nossa vida pública.